Call to action: o que é e como fazer um CTA que gere resultados

O CTA é um sigla em inglês que significa “call to action”, ou seja, chamada para ação. Mas como usá-lo? Conheça essa estratégia não intrusiva de maerketing.

Um Call to Action efetivo não pode fazer o leitor pensar muito. Ele precisa ser de ação intuitiva e rápida.

O Call to Action (CTA), que é traduzido em português como “Chamada para a Ação”, é uma construção textual focada em direcionar o cliente para a realização de determinado objetivo dentro do seu site ou post.

Geralmente esse é o objetivo principal do seu conteúdo, fazer com que o usuário faça aquilo que você deseja.

Podemos citar várias construções com objetivos diferentes, como por exemplo:

  • Siga nossas redes sociais,
  • Entre em contato conosco;
  • Compre agora, garanta já o seu (induzir a compra);
  • Assine nossa newsletter;
  • Faça o Download gratuito;
  • Solicite um orçamento;
  • Peça seu desconto;
  • Garanta sua vaga;

Entre tantos outros que a sua criatividade e necessidade permitir!

Porém, somente ter esse elemento presente no seu conteúdo não é garantia de sucesso. Para isso, é necessário utilizá-lo com sabedoria e foco na geração de resultados. Além disso, existem questões importantes que precisam ser consideradas na utilização desta estratégia.

Dicas para a correta utilização do CTA

Para lhe ajudar a compreender melhor esse mecanismo, elaboramos uma lista com algumas dicas fundamentais, para que você possa aprender a utilizar o CTA de forma simples e eficaz, para tornar esse elemento um aliado importante nas suas estratégias de marketing.

Fique comigo e confira!

Pessoas apontando para alguns gráficos.
O CTA é um sigla em inglês que significa “call to action”, ou “Chamada para a ação”

1 – Criar um senso de urgência

Um Call to Action efetivo não pode fazer o leitor pensar muito e nem mesmo dar margem para ele realizar a ação depois ( o que pode nunca acontecer). Então, é necessário despertar um senso de urgência. Ou seja, o lead terá que fazer agora ou correrá riscos de perder aquela oportunidade.

A persuasão é um elemento importante dentro do texto, e não seria na etapa de conclusão que ela estaria ausente. Assim, vale dizer que uma chamada efetiva é o que vai fazer valer todo o esforço na hora de produzir um conteúdo valioso.

Afinal a ação do potencial cliente é o objetivo do seu texto, então de nada adianta um texto de alta qualidade se ele não lhe trouxer os resultados esperados.

2 – Realizar testes A/B

Testes A/B são feitos quando há mais de uma versão disponível e analisada por grupos diferentes de usuários (A e B). Portanto essa medida serve para verificar, na prática, qual das opções consegue gerar maior engajamento. Testar Call to Action é a melhor forma de descobrir qual padrão se estabelece melhor junto ao seu público.

Medidas como essas trarão dados mais específicos. Portanto é sabido que um modelo de CTA que funciona bem para uma empresa pode não funcionar com a mesma eficácia na estratégia da outra. O que ressalta a importância de investir nos testes.

Sua empresa pode testar opções diferenciadas e verificar o que se adapta melhor ao perfil da sua persona. Por exemplo, se o objetivo e gerar mais vendas, você pode testar “compre agora” e “faça uma cotação”. Sendo que na segunda opção o cliente será direcionado a equipe de vendas.

Mesa de reunião com várias pessoas.
A resposta do usuário precisa ser intuitiva, o CTA não pode faze-lo pensar muito

3 – Usar verbos no imperativo

Ao elaborar um Call to Action, não se pode fazer um simples pedido ou convite. Afinal é necessário trazer um toque imperativo, ou seja, como se estivesse dando uma ordem. Porém, deve-se ter cuidado para usar o tom correto e não parecer agressivo ou invasivo.

Uma maneira simples de resolver essa questão é formar frases curtas e objetivas com verbos imperativos. Esses verbos trazem consigo essa função, tornando mais natural a presença de uma “ordem”.

Aqui vale o mesmo caso que já comentamos anteriormente. Por exemplo: Compre, baixe, solicite.

4 – Não fazer chamadas longas

Chamadas longas podem cansar o usuário e dificultar o entendimento dele sobre o que está sendo dito. Então, é inviável utilizá-las. O mesmo vale para chamadas muitos curtas, porque acabam parecendo simples demais.

Os testes mencionados acima ajudam a entender qual o tamanho ideal. Pois os conceitos sobre pequeno e grande podem variar conforme a situação. Ao encontrar o padrão ideal de tamanho, se torna mais fácil replicá-lo independentemente do objetivo do CTA.

Da mesma forma que o Google tem um limite sugerido de caracteres para os títulos do seu conteúdo, também no CTA recomendamos que não ultrapasse os 60 caracteres, para não comprometer sua eficácia.

5 – Tenha um CTA voltado para o benefício do usuário

Essa é uma dica, muito importante tanto para melhorar a otimização do seu texto, como para obter melhores taxas de conversão. Porque? Simples, as pessoas somente vão clicar no seu botão de CTA se estiverem certas que receberão algo em troca, caso contrário não.

Um exemplo, de benefícios neste caso é oferecer um material gratuito, ou um desconto. Ou ainda, você pode contextualizar o benefício, por exemplo, “Curta nossa página, e receba nossos conteúdos em primeira mão”.

Na mesma linha, seu call to action tem que mostrar um benefício para seus usuários. Se as pessoas não estão certas sobre o valor que seu botão de CTA irá entregar, elas não irão clicar.

CTA, invista neste elemento

Assim ao descobrir como utilizar o Call to Action, você aprende não só a fechar o seu texto com chave de ouro, mas também a trazer mais riqueza para todo o conteúdo produzido.

Contudo, uma estratégia de sucesso depende da qualidade com que a interligação entre as ações é feita. E nesse cenário, a chamada é um dos elementos mais importantes.

Não tenha medo de ousar! Teste, veja o que dá certo para o seu negócio e invista nos elementos que lhe trouxerem maior retorno. Assim, em pouco tempo você terá um CTA campeão.

Enfim, e você, como elabora um Call to Action? Deixe um comentário e divida a sua experiência conosco! Afinal queremos saber como esse elemento é trabalhado dentro da sua estratégia.

Imagens: Apontando, marketing.

Sandro Herek

  • Executivo e Empreendedor com quase 30 anos de experiencia em Soluções para Internet, Marketing Online e Offline.
  • Fundador da LinkWell em 1992
  • Fundador do primeiro guia de Buscas do Brasil – GuiaWEB em 1995
  • Fundador da Media Virtual, empresa dedicada a comercializar anuncios na internet em 1997
  • Fundador da primeira Franquia de Soluções para Internet em 2006.
  • Fundador da Virtualnet, empresa americana especializada em marketing em 2015
  • Co-Fundador da Doctorscopic, empresa americana especializada na indústria médica em 2016
  • Fundador da BPO LIST, empresa de gestão de Business Process Outsourcing em 2017