Mídia paga x mídia orgânica: entenda as diferenças e quando usar

Você já se perguntou a respeito das diferenças entre mídia paga e mídia orgânica? Quer saber qual é a melhor de utilizar para alcançar bons resultados?

Você já se perguntou a respeito das diferenças entre mídia paga e mídia orgânica? Ou quer saber qual das duas é melhor de utilizar para alcançar bons resultados? Essas são perguntas muito importantes para se fazer antes de iniciar um planejamento de marketing.

A comunicação de uma empresa, geralmente, se faz por meio de canais. Eles são responsáveis por levar a mensagem da marca para o público dela, de maneira direta ou indireta. Em muitos casos, há a necessidade de investimento direto para ganhar espaço neles. Em outros, não.

Porém, entender as diferenças entre mídia paga e mídia orgânica vai além do fator financeiro. Confira o artigo para descobrir o valor de cada uma e como utilizá-las em conjunto. Boa leitura!

Como usar mídia paga?

O termo mídia paga se refere ao uso de todo canal que requer investimento para proporcionar visibilidade ao seu conteúdo. Sendo possível observá-la em meios tradicionais, como na forma de anúncios em jornais, TV e revistas, a mídia paga passou por uma revolução com a internet, ao trazer possibilidades muito mais atrativas às marcas no meio digital.

O principal diferencial desse canal é a possibilidade de especificar o público que você quer atingir, principalmente no meio digital. Graças aos algoritmos modernos, é possível segmentar seus anúncios para pessoas com interesses e perfis específicos. Aumentando bastante a identificação dessas pessoas com o seu anúncio.

No ambiente digital, a cobrança da mídia paga é feita a partir dos resultados obtidos por ela. Ou seja, a sua empresa somente pagará se a campanha realmente der certo. Um exemplo disso é o preço CPC, ou “custo por clique”, em que há cobrança apenas quando o seu público clica no anúncio.

Como usar mídia orgânica?

Quando o assunto é mídia orgânica, geralmente se fala de canais em que não é necessário fazer um investimento direto para obter visibilidade. É como se fosse um meio em que o espaço é conquistado e mantido, o que proporciona maior longevidade à sua presença e, claro, é capaz de aliviar o seu orçamento.

A mídia orgânica se manifesta de diversas formas, tanto em meios próprios da sua marca como naqueles controlados por terceiros. Por exemplo, ao publicar conteúdo em um blog com uma boa estratégia de SEO, as chances de ele aparecer em posições de destaque no Google aumentam. Trata-se de uma mídia orgânica bastante valiosa.

O uso da mídia orgânica no marketing serve para manter a sua marca relevante por um tempo indefinido. Quanto mais gente é capaz de encontrá-la, mesmo sem o apoio de mídia paga, maior é a força dela.

Como usar mídia paga e mídia orgânica em conjunto?

Como já deve ter ficado claro ao desvendar as diferenças entre mídia paga e mídia orgânica, não se trata de escolher uma que seja melhor do que a outra. Na verdade, elas representam canais altamente poderosos que podem ser muito benéficos para sua marca de maneira conjunta.

Por exemplo, uma marca pode se beneficiar bastante de uma boa visibilidade em mídia orgânica para permanecer relevante junto ao público dela. No entanto, o reforço de mídia paga pode ser fundamental para uma campanha vencer os concorrentes e trazer ainda mais atenção para as suas ofertas.

O segredo para o sucesso está em aproveitar as forças de cada uma em favor da sua empresa. Mantenha seus esforços do dia a dia em manter sua marca relevante na mídia orgânica, ao mesmo tempo em que faz investimentos estratégicos em mídia paga, para atingir o perfil certo de cliente que você está procurando.

Enfim, a partir dessas informações, você já pode começar a estruturar um planejamento de marketing competente para a sua marca. Fique por dentro de mais ideias como essas ao seguir os nossos perfis nas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn!

Imagens: Tablet, celular.

Sandro Herek

Executivo e Empreendedor com 27 anos de experiencia em Soluções para Internet, Marketing Online e Offline.
Fundador da LinkWell em 1992
Fundador do primeiro guia de Buscas do Brasil – GuiaWEB em 1995
Fundador da Media Virtual, empresa dedicada a comercializar anuncios na internet em 1997
Fundador da primeira Franquia de Soluções para Internet em 2006.
Fundador da Virtualnet, empresa americana especializada em marketing em 2015
Co-Fundador da Doctorscopic, empresa americana especializada na indústria médica em 2016
Fundador da BPO LIST, empresa de gestão de Business Process Outsourcing em 2017